Mensagem Bíblica: Três Pregos e um Martelo

Mensagem: Três Pregos e um Martelo

Três pregos e um martelo foram suficientes para consumar o acontecimento mais importante da história da humanidade. Um acontecimento que, depois de dois mil anos, ainda influi poderosamente na vida de todas as pessoas, incluindo eu e você.

Imagine-se no princípio do século l da nossa era e procure reconstituir em sua mente a cena que descreverei:

Estamos na Palestina, nos arredores da cidade de Jerusalém. No topo dum monte sem vegetação estão plantadas três cruzes de madeira rústica. Ne las agonizam os condenados, contorcendo-se, torturados pelas dores atrozes que este tipo de suplício produz. O sangue escorre das feridas abertas nas mãos e nos pés, e embebe a terra árida e quente. O calor é escaldante; o sol está a pino; o ar, parado. Nem uma leve brisa a suavizar o fogo da febre que consome os crucificados.

O sofrimento é indescritível. Não pelos pregos, que os ferimentos não são mortais. Ninguém mor re da crucificação. O que atormenta é a febre alta, as cãibras violentas, a sede terrível, a posição incó moda, a gangrena que logo toma conta, e sobretudo a vergonha de ser transformado em alvo dos olhares duma multidão de curiosos.

Os soldados, terminada a montagem do espetáculo que o governo romano ordenou para exe cução da sua justiça inflexível, repartem entre si as roupas retiradas dos condenados, um reforço ao magro soldo que o Império lhes dá. Em volta, uma multidão barulhenta de homens e mulheres, gente de todas as idades, naturais da terra e estrangei ros, todos sedentos de sangue e novidade, deleita-se com os gemidos lancinantes que a cada instante cortam o espaço.

Embora fossem comuns os espetáculos de cru cificação, castigo que os romanos inventaram para punir os crimes mais nefandos, este apresenta uma novidade: além da multidão variada que o pre sencia, estão ali também as principais autoridades religiosas do país.

E mais estranho ainda é que elas, sempre hostis aos romanos, agora estão solidárias com os dominadores, apoiando com entusiasmo a morte de um dos condenados, o do centro. É a ele que se diri gem as atenções de todos. Alguns olham para eles e enxugam lágrimas quentes e sentidas, especial mente umas mulheres, entre as quais uma prema­turamente envelhecida, cuja face macilenta revela profunda dor.

Ele mesmo é diferente. Parece suportar com re signação incomum aquele doloroso suplício. Este, sofrendo atrozmente, mas não protesta nem blasfema como os outros. Pelo contrário, recebe com paciência os insultos pesados e a chacota das auto ridades, antes circunspectas e respeitáveis, agora fazendo uma algazarra que demonstra haverem perdido todo o respeito próprio. Seu corpo nu apre senta sulcos profundos nas costas, abertos pelas vigorosas chicotadas que lhe mandaram aplicar; no rosto, manchas de fortes pancadas; a fronte, salpicada de sangue das feridas feitas por uma co roa de espinheiro que lhe puseram na cabeça.

Suspenda agora esta leitura, feche os olhos e imagine a cena. Sinta-a em sua crueza, considere-se um dos seus espectadores. Imagine-se ali, diante daquelas três cruzes, no meio da multidão.

Quem é aquele condenado? Que crime prati cou? A tabuleta no alto da cruz explica: “Jesus nazareno, o rei dos judeus”. O comandante da guarda, ao ver como ele morria, exclamou: “Na verdade, este homem era justo”.

Se era justo, por que foi crucificado? Se era justo, por que sofreu tanto? A chave do enigma é um homem chamado Barrabás, que está no meio da multidão, e contempla com espanto aquela cruz. Barrabás repete para que todos ouçam: “Ele mor reu em meu lugar. Era eu que devia estar naquela cruz. Ele morreu por mim”.

Barrabás era um malfeitor e assassino; estava condenado à crucificação; mesmo assim, quando ia pagar seus crimes, Jesus tomou seu lugar. Barrabás sou eu. É você. é cada ser humano. “Todos pecaram”, diz Deus. Eu pequei. Você pe cou. Todos pecaram. E Jesus morreu pelos peca dores, como eu e você. Ele mesmo disse que ia morrer, que ia dar a sua vida pelos pecadores. Po deria ter escapado da cruz, mas não quis, porque nos amou. Por amor a nós ele se esvaziou da gló ria do céu, tomou a forma humana, viveu entre os homens, e caminhou voluntariamente para a morte na cruz.

Se ele não morresse, Barrabás teria de morrer. Aquela cruz não ficaria vazia: Jesus ou Barrabás; Jesus ou eu. Jesus ou você.

Talvez você recuse confessar, mas é pecador. E Deus declara que “O salário do pecado é a mor te”. Morte eterna, isto é, o fogo do inferno, que existe e não adianta negar. Uma eternidade de so frimento para quem não quiser ser substituído por Jesus. Ele, que nunca pecou, pôde sofrer pelo meu pecado, pelo seu pecado, pelo pecado de todos. Por que Ele era justo. Não tinha culpa própria para precisar sofrer o respectivo castigo.

Todavia, a morte na cruz em lugar do peca dor não foi o fim de Jesus. Quando Ele anunciava aos seus seguidores a sua própria morte, sempre deixava claro que havia de ressuscitar ao terceiro dia. É que Ele era o próprio Deus em forma hu mana e portanto a morte não o poderia reter.

“Ele ressuscitou!”, foi a boa-nova que começou a circular naquela manhã ensolarada de domingo e continua a espalhar-se pelo mundo inteiro, como a maior mensagem de esperança que ouvidos humanos já ouviram. A vitória de Jesus Cristo sobre a morte foi a nossa vitória também pois, como diz a Bíblia, Ele morreu “pare que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse a todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida”.

***

Foi por isso e para isso que Jesus morreu. Mor reu e ressuscitou. E agora é você quem escolhe. Reconheça os seus pecados, arrependa-se deles, re solva abandoná-los, confie na promessa da Bíblia que diz: “O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado”, e lhe acontecerá o mes mo que a Barrabás e a mim: você será salvo da morte eterna, do inferno, porque Jesus morreu em seu lugar e ressuscitou dos mortos para fazê-lo vito rioso sobre a morte.

Decida. É uma oportunidade que não deve pas sar. Oferecemos-lhe todo o nosso apoio, porque estamos prontos a ajudá-lo a mudar completamente o rumo da sua vida e manter-se vitoriosamente nessa nova vida. Vida que brota daquela morte que três pregos e um martelo consumaram. Vida em Cristo.

Artigo anteriorReflexões Cristãs: Sua causa perante ao Senhor !
Próximo artigoDevocional Cristão: Ele promete-Ele cumpre
Esposa, mãe, serva e amante de Deus. Trabalha juntamente com seu esposo pastoreando e ministrando vidas nas quais Deus os confia! Tem como foco principal a edificação do Corpo de Cristo para que todos nós alcancemos a Plenitude de Cristo (Efésios 4:13) Por isso criou Estudos Cristãos e dedica-se a ele com muito amor e carinho.

5 COMENTÁRIOS

  1. sou apaixonada por jesus.que mensagem maravilhosa, cada vez que eu a leio, ouço sou renovada.que deus maravilhoso, que amor incomparavel de entregar o seu unico filho na crus por mim. tenho trez filhos nao tenho coragem de dar um dos meus filhos.so mesmo o amor de deus e peço adeus que enquanto eu viver eu quero fazer a vontade de deus.

  2. Paz de Jesus Cristo em sua vida Regiane.

    Somos pecadores por que somos humanos.

    Como posso eu sendo pecadora falar do amor de Jesus Cristo?
    Toda vez que eu falou cai sobre mim os meus pecados, pecados que eu peço perdão e sei que sou perdoada, (eu me acho uma verdadeira cara-de-pau porque eu peço perdão e depois estou pecando de novo e de novo…) eu tento falar desse AMOR.

    Paz

    • Dani Graça e Paz…

      Primeiramente minha linda não deixe que essa condenação permaneça em sua vida, você é justificada pelo sangue de Jesus Cristo, Ele levou sobre si os nossos pecados e nos fez livres de nossas transgressões. Não somos mais pecadores mais agora somos justificados pelo sangue do Cordeiro!
      Nós temos um acusador em nossa vida “diabo” na qual veio pra tentar matar, roubar e destruir e claro que ele vai te julgar a todo tempo.
      Primeiramente eu te animo a realmente buscar mais a Deus lendo a Palavra e o buscando em oração, isso é fortalecimento para nosso espírito, fazendo com que consigamos vencer com facilidade as obras da carne. Desenvolva em você os frutos do espírito ( Galátas cap 5), pois é através deles que você realmente identificara o que pertence ao reino de Deus!
      Você não é cara de pau, é uma filha amada de Deus que deseja muito fazer as coisas certas, por isso não desista, busque de todo o coração, se arrependa …mas lembre-se que o poder de Deus habita em você e te faz capaz sim de vencer o seu pecado porque você já é justificada !!!!!!

      Que Deus continue te abençoando e te dando muita revelação

      Regiane

  3. aleluya! paz de Cristo Regian. Esto agredecido pela messagem e na vedade não vou mentir eu sou pecador e se calhar o mais pecador que barrabas. Eu preciso muito deste milagre da salvação que o filho de Deus oferece. orai por mim porque não quero está morte interna. Eu quero muito louva-lo e com um mentee pura.

    paz do Senhor a todos
    Angelino.

  4. Glória irmãos!

    Que mensagem linda!!

    Que Deus abenções a vida e os sonhos de cada um!!

    Que cada um aceite Jesus como seu único Senhor e Salvador!!

    E declare:

    EU TE AMO JESUS!!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here