Capa » Ministério Jovem » Ministério de Jovens: Estudo sobre Drogas

Ministério de Jovens: Estudo sobre Drogas

 “E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito” (Ef 5.18).

Apesar do sentido pejorativo, o termo “drogas” vem do grego pharmakeia, e significa farmácia, ou drogaria.  Na Bíblia, a palavra está sempre associada à feitiçaria ou às atividades demoníacas.  Há nas Escrituras várias referências que condenam os vícios e seus funestos resultados (Pv 20.1; 21.7; 31.4; Is 5.22; 28.7; Ef 5.18).  Deus condena terminantemente todo tipo de vício, inclusive as drogas.

I – Princípios bíblicos contra o uso



1.  Bebidas alcoólicas em geral.  A Bíblia é categórica e irredutível: “Não vos embriagueis com vinho em que há contenda…” (Ef 5.18).  Paulo, aqui, não se refere apenas ao efeito entorpecente do vinho, mas a embriaguez de modo geral provocada por qualquer tipo de bebida.  Ele estava plenamente consciente de que o cristão jamais deve se embriagar.  Trata-se de um princípio divino.
2.  A abrangência do princípio.  Se Efésios 5.18 se refere a um princípio bíblico geral contra as bebidas entorpecentes, podemos depreender que o mesmo texto também condena o uso desnecessário e abusivo de outras substâncias nocivas ao organismo.

II – Por que as pessoas se drogam?  

1.  Razões alegadas pelos viciados.  Segundo o Pastor David Wilkerson, fundador do Centro Desafio jovem de Nova Iorque, EUA, há muitas razões pelas quais os jovens usam drogas.  Vejamos:
a) Como símbolo de independência;
b) Para fugir da infelicidade do lar;
c) Por curiosidade;
d) Para ser aceito num grupo de jovens mais “avançados”;
e) Por causa da influência do grupo;
 f) Fuga de problemas emocionais;
 g) Por medo de ser tachado de covarde por seus “amigos”.  As drogas se apresentam como uma ilusória “válvula de escape”, mas as suas conseqüências são fatais (Pv 23.29-35; 1 Co 3.17).

2.  Os ardis de Satanás.  O Diabo sempre teve interesse em devorar a juventude através de seus ardis (1 Pe 5.8).  Os jovens devem dizer não às drogas e, consequentemente, a Satanás.  É bastante oportuna a advertência de Salomão em Ec 12.1.  III – Por que a Bíblia condena as drogas?

1.  Porque é um pecado contra o corpo.  Assim como a prostituição é um pecado deliberado contra o corpo (1 Co 6.18-20), também o são as drogas (1 Co 3.17).  Muitos dizem que têm o direito de fazer o que quiserem com seu corpo.  Embora pensem que isso seja liberdade, de fato estão escravizados por seus próprios desejos.  Quando nos tornamos cristãos, o Espírito Santo passa a habitar em nós.  Sendo assim, nosso corpo não mais nos pertence.  É propriedade do Criador, e não podemos violar os padrões de vida estabelecidos por Ele.
 
2.  Porque causam sofrimento ao usuário e ao próximo.  Apesar de o viciado ser o principal prejudicado pelas drogas (Pv 5.22,23), os familiares sofrem bastante com a situação.  Além do cuidado natural, a família acaba gastando o que tem e o eu não tem com dispendiosos tratamentos.  Há viciados que roubam dinheiro e objetos de casa para trocar por drogas.  Outros se tornam agressivos (Pv 4.17; 23.29-35) ou deixam de trabalhar e sustentar a família.  Pior ainda, há os que entram para o mundo do crime (Pv 20.1).

3.  Porque sustentam o mundo do crime.  As drogas movimentam um gigantesco esquema de atividades ilícitas que envolvem desde o contrabando até formas cruéis de assassinatos, corrupção e abuso de poder.  E quem sustenta tudo isso é o usuário de drogas (Is 55.2).

4.  Porque afastam o homem de Deus.  É incontestável o fato de que as drogas afastam o homem dos caminhos do Senhor (1 Co 6.10; Gl 5.21; 1 Pe 4.3).  IV – Vivendo sem drogas

1.  A prevenção. O que devemos fazer para alertar as pessoas sobre o perigo do vício das drogas?

 a) Mostrar os exemplos negativos.  Precisamos mostrar aos jovens a situação e o sofrimento de quem já está enfrentando o problema, direta ou indiretamente (Pv 4.14-17; 5.22, 23).
 b) Ensinar os princípios da Palavra de Deus.  Um jovem bem instruído nos caminhos do Senhor rejeitará o vício mais facilmente (Pv 3.1-8; 4.23-27).
c) Mostrar as advertências da Palavra de Deus.  Em Pv 23.29-35, a Palavra nos adverte claramente sobre o perigo das bebidas alcoólicas.  O texto fala do efeito da bebida que é comparado à picada de uma serpente que envenena sua vítima.  Os efeitos do álcool, e das drogas de modo geral, são demoníacos e destruidores (Pv 23.29, 33, 34, 35).

2.  O tratamento.
 a) Tratamento espiritual.  Não há como livrar uma pessoa das drogas sem antes cuidar de sua vida espiritual.
 b) Tratamento convencional.  Em muitos casos, o viciado precisa ser levado para uma clínica especializada a fim de ser desintoxicado (Mt 9.12).  Há muitas igrejas que mantêm centros de recuperação de viciados.
c) Cuidado constante.  Às vezes, mesmo após deixar o vício, alguns, infelizmente, retornam a ele (Pv 26.11; 2 Pe 2.22).  Não são poucos os casos de “ex- viciados” que vêm para a igreja, se casam como moças crentes e até são aceitos no quadro de obreiros, mas, tempos depois, abandonam a família e a igreja para retornar às drogas.  Alguns têm um fim trágico.

CONCLUSÃO Somente através de graça redentora de Cristo é que se pode viver sem droga ou qualquer tipo de vício que ofenda aos homens e a Deus (At 24.16).  Caso você tenha problemas com drogas ou conviva com algum viciado em sua família, o Todo-Poderoso pode libertá-lo agora mesmo!  (Jo 8.32; 16.24; Sl 37.5).

Fonte: Casa Publicadora das Assembléias de Deus

Sobre Estudos Cristãos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>