Os Cristãos Devem Celebrar o Natal?

Os Cristãos Devem Celebrar o Natal?

O debate sobre se os cristãos devem celebrar ou não o Natal dura há séculos. Há cristãos sinceros e comprometidos igualmente em ambos os lados da questão, cada um com várias razões para que o Natal deva ou não ser comemorado em lares cristãos. Mas o que a Bíblia diz? A Bíblia dá uma orientação clara para sabermos se o Natal é um feriado para ser celebrado pelos cristãos?

Primeiro, vamos olhar para as razões por que os cristãos não celebram o Natal. Um argumento contra o Natal, é que as tradições que cercam o feriado tem origens no paganismo. A busca de informações confiáveis ??sobre este tema é difícil, porque as origens de muitas das nossas tradições são tão obscuras que as fontes muitas vezes são contraditórias entre si. Sinos, velas, azevinho, e decorações são mencionados na história do culto pagão, mas o uso de tais elementos no próprio lar, certamente não indica um retorno ao paganismo. Enquanto há definitivamente raízes pagãs em algumas tradições, existem muitas tradições mais associadas com o verdadeiro significado do Natal, o nascimento do Salvador do mundo, em Belém. Sinos são tocados para tocar a alegre notícia, velas são acesas para lembrar-nos que Cristo é a luz do mundo (João 1:4-9), uma estrela é colocada no topo de uma árvore de Natal para lembrar a Estrela de Belém , e os presentes são trocados para nos lembrar dos presentes dos Reis Magos a Jesus, o maior dom de Deus para a humanidade.

Outro argumento especialmente contra o Natal é a árvore de Natal, a Bíblia proibiria trazer árvores para nossas casas e decorá-las. A passagem citada é Jeremias 10:1-16, mas esta passagem refere-se ao corte de árvores, escarificação da madeira para fazer um ídolo, e ídolo decorado com prata e ouro com a finalidade de nos curvamos e adorá-lo (ver também Isaías 44:9-18). A passagem de Jeremias não pode ser retirada de seu contexto e usada para fazer um argumento legítimo contra as árvores de Natal.

Há os cristãos que optam por ignorar o Natal pelo fato de que a Bíblia não nos dá a data do nascimento de Cristo. Certamente é verdade que 25 de dezembro possa sequer estar próximo da época do nascimento de Jesus, há uma legião de argumentos em ambos os lados, alguns relacionados com o clima em Israel, as práticas de pastores no inverno, e as datas de recenseamento romano. Nenhum desses pontos está isento de uma certa quantidade de conjecturas, o que nos traz de volta para o fato de que a Bíblia não nos diz quando Jesus nasceu. Alguns vêem isso como prova de que Deus não queria que nós celebrássemos o nascimento de Jesus, enquanto outros vêem o silêncio da Bíblia sobre a questão como uma aprovação tácita.

Muitas pessoas percebem que há um esforço concentrado para eliminar a palavra “Natal” do discurso público. Há uma “guerra contra o Natal”. Nesse período as pessoas se cumprimentam assim: “Desejamos-lhe uma feliz festa” em vez de” Nós desejamos-lhe um Feliz Natal”. Alguns cristãos dizem que à medida que o mundo celebra o Natal, ele está se tornando mais e mais politicamente correto para se referir a ele como feriado cristão, portando deve-se evitá-lo. Mas esse é o mesmo argumento feito por falsas religiões que negam a Cristo por completamente, como as Testemunhas de Jeová, que negam a Sua divindade. Os cristãos que não celebram o Natal, muitas vezes vêem a ocasião como uma oportunidade para anunciá-lo como “a razão da festa” entre as nações e para os presos em falsas religiões.

Como vimos, não há nenhuma razão legítima bíblica para não celebrar o Natal. Ao mesmo tempo, não há mandamento bíblico para comemorar também. No final, é claro, celebrar ou não o Natal é uma decisão pessoal. O que o cristão decidir fazer a respeito do Natal, seu ponto de vista não deve ser usado para denegrir aqueles com pontos de vista opostos, nem deve ser usado como distintivo de orgulho para celebrar ou não celebrar. Em todas as coisas, buscar a sabedoria daquele que dá liberalmente a todos que pedirem (Tiago 1:5), e aceitar um ao outro em amor cristão e de graça, independentemente dos nossos pontos de vista sobre o Natal.

1 COMENTÁRIO

  1. O homem está totalmente integrado ao meio em que vive, a conseqüência é a absorção de costumes e práticas comuns a todos; principalmente, quando se trata de uma comemoração tão “bela” e na qual as emoções vêem à tona. Verdadeiramente é muito difícil aceitarmos qualquer informação que vá de encontro a esta festividade, nossa tendência inicial é rejeitar tais ensinamentos, taxando-os de inconsistentes ou originado em mentes de “pessoas que querem ser santas demais”. Mas é fato! Ao contrário do que muitos pensam o NATAL não é uma festa originalmente cristã. As fontes pesquisadas apresentam várias versões retratando o surgimento dos símbolos natalinos, porém, todos possuem um ponto em comum, a origem pagã! A introdução desta comemoração na igreja cristã surgiu no catolicismo, por volta do século IV, a idéia era “abafar” o paganismo, cristianizando com uma boa maquiagem as celebrações comuns aos povos pagãos.

    A palavra natal em inglês é christmas, a união de duas palavras, christ e mass que significa missa de Cristo ou missa de natal.

    O dia 25 de dezembro foi escolhido porque coincidia com os festivais pagãos que celebravam a: 1)saturnália e o 2) solstício de inverno, em adoração ao deus-sol 3) sol invictus. Este festival de inverno era chamado à natividade do sol. A festa solar do natalis invicti (natividade do sol inconquistado) era celebrada em 25 de dezembro.

    A fim de justificar a celebração do natal muitos tentaram identificar os elementos pagãos com símbolos bíblicos. Jesus, por exemplo, foi identificado com o deus-sol. Tertuliano teve que assegurar que o sol não era o Deus dos cristãos, e Agostinho denunciou a identificação herética de Cristo com o sol.

    Não devemos jamais nos esquecer que como cristãos verdadeiros somos ordenados a comemorar a morte de Cristo, sua ressurreição e sua vinda (1Co 11:25,26). Em nenhum lugar das Escrituras é ordenado aos cristãos que comemorassem o nascimento de Cristo. Talvez porque o nascimento de Cristo é um fato histórico aceito por todos os homens, é algo que ninguém se opõe. Não é assim porém com relação a sua ressurreição. Todos comemoram o nascimento de Cristo, mas somente os cristãos comemoram a sua ressurreição. Devemos ainda lembrar que acerca de Jesus, identificado na pessoa de Melquisedeque, se diz que era “…sem pai, sem mãe, sem genealogia; que não teve princípio de dias, nem fim de existência…” (Hb.7:3).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here