Finanças: 4 Passos para a Restauração Financeira

1
1297

Finanças – 4 Passos Para a Restauração Econômica.

Depois de ter gasto tudo, houve uma grande fome em toda aquela região, e ele começou a passar necessidade… “Caindo em si, ele disse: ‘Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados’ .”Mas o pai disse aos seus servos: ‘Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e calçados em seus pés (Lucas 15.14,17,18,19,22).

1º Cair em Si. “Caindo em Si”

Um dos benefícios de uma crise é que serve para cair em si, foi por isso que quando começou a faltar o necessário para esse rapaz , ele tomou consciência do estado em que ele se encontrava.

Necessitamos compreender que a culpa não era ocasionada pela grande fome que estava tendo naquele momento, mas sim porque na realidade ele havia gasto mal o que tinha.

Na realidade as crises servem para saber se nós soubemos aproveitar os bons momentos ou não, pois apesar delas muitos progridem e não estão em necessidade. No entanto grande parte das pessoas nunca cai si, apesar do passar dos anos seguem em um estado lamentável em relação à área econômica.

 

2º Confessar o pecado: Pequei contra o céu e contra ti.

Gastar mal é pecar, por isso disse, “Irei a meu pai, e lhe direi: Pai pequei contra o céu e contra ti”. Quando nós administramos mal o dinheiro, o tempo e as oportunidades de trabalho, isso é pecar contra Deus e contra aos demais.

Por isso é necessário pedir perdão ao Senhor em primeiro lugar, mas também a nosso cônjuge e filhos por haver atuado de forma negligente. Não esqueça que “gastar mal” pode ser por gastar em coisas desnecessárias, ou por gastar além de nossas possibilidades econômicas.

 

3º Humilharmos: “Já não sou digno de ser chamado seu filho”

Quando reconhecemos nossa responsabilidade e entendemos o que perdemos estamos prontos para ser abençoados por Deus. Quando reconhecemos diante dos demais nossos erros, isso nos devolve a autoridade e credibilidade diante deles.

Não esqueça que humilhar-se não significa debilidade, mas sim uma tremenda fortaleza pessoal.

4º Aceitar a misericórdia de Deus: “Depressa tragam a melhor roupa e vistam nele”!

Apesar de que mereceríamos ser empregados, o Senhor em seu amor nos devolve a posição de filhos. Não se condene, deixe-se aberto ao favor de Deus, recebendo seu perdão e também o perdão daqueles que te rodeiam. Sobre tudo, não volte a gastar mal os recursos e oportunidades que o Senhor está te dando, aproveita para abençoar sua vida e a vida daqueles que te rodeiam.

 

Eu abençoo a sua vida para que permitas a Deus restaurar sua economia e para que possa abrir seu coração para as bênçãos que Ele tem para você no futuro.

Por Daniel González

1 COMENTÁRIO

  1. Com a facilidade de crédito que temos atualemente somos tentados constantemente a cair na cilada do consumismo excessivo.
    Que Deus esteja nos abrindo os olhos para a questão financeira, pois hoje o individamento é muito real….

    Talvez o passo mais importante do artigo seja admitir que precisamos de mudança, que estamos gastando em demasia.

    Abraços.

Deixe uma resposta