Estudo Bíblico: Qualidades de um Bom Líder – 2

0
1086

lider1Estudo Bíblico: Qualidades de um Bom Líder – 2

 

III. QUALIDADES NA VIDA DE UM LÍDER 
1. Qualidades Espirituais É indispensável que o líder caminhe ao lado e com Deus na liderança. Para isso, é necessário que o coração do líder seja inteiramente de Deus (2Cr 16.9). Sendo assim, o líder é uma pessoa que procura com intensidade ter ou possuir uma elevada estatura espiritual. O padrão divino para o líder é extremamente elevado, para que ele possa atingir o padrão de Deus, é necessário obediência plena da parte dele. Seu viver deve ser irrepreensível. O que ele ensina em relação às verdades espirituais da Palavra de Deus, devem condizer com a verdade. Não deve acontecer de que um membro chegue diante dele e o acusa de não estar praticando o que prega, de não estar cumprindo este ou aquele outro mandamento da Palavra de Deus. Temos na vida de Daniel um grande exemplo: ele era irrepreensível, não havia nada que as pessoas podiam falar com relação a faltas em sua vida. Sendo assim, seus inimigos tentaram achar algo para acusá-lo na lei de Deus. Nada encontraram. Por fim, tiveram que fazer algo para que ele viesse a cair, mas sua vida espiritual era tão elevada que mesmo diante do decreto do rei, ele não sucumbiu. Sua firmeza espiritual foi o seu segredo (Dn 6).

As qualidades espirituais devem ser prioridades absolutas na vida do líder. Se ele assim proceder, as pessoas irão querer imitar o seu exemplo.

2. Qualidades Morais Os líderes devem possuir uma vida limpa, isso não deve ser por medo dos liderados, mas sim pelo temor diante de Deus, por querer agradá-lo. Nas Escrituras, temos um exemplo bastante forte deste padrão moral que o líder deve ter. José se recusou a ter relações sexuais com a mulher de Potifar, não por temer a Potifar, mas por temer cometer tamanho pecado diante de Deus (Gn 39.7-21).

Ter uma vida moral reta é algo que não tem preço. Não se pode comprar. Tendo uma vida limpa perante Deus e os demais, o líder terá uma visão clara de seus alvos e objetivos, será mais fácil para ele alcançar seus objetivos assim.

Pessoas com problemas de visão procuram um oftalmologista para corrigir o problema. Líderes com problemas em sua vida moral, terão uma visão distorcida do ministério, não mais agirão com clareza. Por isso, é fator primordial ter uma vida limpa.
3. Qualidades Pessoais. Cada líder tem a sua própria personalidade. Ninguém é igual a ninguém. Porém há qualidades pessoais que cada líder deveria ter preocupação. Um líder deve estabelecer alvos pessoais. Ele deve estabelecer alvos para si mesmo, bem como para sua congregação (Rm 12.3; Fp 3.14).

O líder é uma pessoa cuja influência se faz sentir em todos os aspectos. Por onde quer que vá, ele é alvo de observações e por isso há de exercer uma influência na vida das pessoas que o cercam. Ele não deve procurar fazer certas coisas somente para que outras pessoas vejam que ele está fazendo, mas ele deve ter em sua mente que quando ele faz alguma coisa os outros estão observando o seu modo de fazer ou agir. Até mesmo tudo o que o líder fala, faz ou pensa serve para influenciar os seus liderados, quer positiva, quer negativamente. De uma maneira ou de outra, o líder, influenciará os seus liderados em tudo o que faz, portanto, é necessário que se tenha o máximo cuidado para não ser uma influência negativa na vida deles.

IV. AS QUALIFICAÇÕES ESPIRITUAIS DE UM LÍDER

Deus está a procura de líderes. Líderes que tenham o coração voltado para Ele, para Sua obra. Pessoas cujo coração é do Senhor. O apóstolo Paulo, aconselhando a Timóteo (1Tm 4.6-16), nos deixou as especificações para o ministro que Deus está procurando, o bom ministro de Cristo e os meios para se chegar a tal:

1) Os perigos espirituais – Paulo estava ensinando a Timóteo a maneira de como se deve proceder na Casa de Deus e assim, advertindo contra as doutrinas falsas (v.6).

2) Nutrição através da Palavra de Deus – uma doutrina correta, a sã doutrina, é a base do ensino. Sabemos que a Palavra de Deus é recebida pela fé, ela, por sua vez, faz aumentar a nossa fé, desenvolvendo a nossa vida espiritual. O bom ministro de Cristo deve saber, expor e definir as doutrinas fundamentais e ensinar aos liderados o que a Bíblia diz (v.6).

3) O exercício da piedade – a boa doutrina deve ser pura. A piedade é o caráter e a semelhança de Deus. O conselho de Paulo a Timóteo era o de fazer o exercício pessoal, tanto quanto o espiritual (vs.7,8).

4) Esforço no serviço – além de ser piedoso, o bom ministro de Cristo deve esforçar-se no desempenho do serviço, além das lutas contra as forças do mal, pois sabe que é sustentado por Deus, O “Conservador de todos os homens” (v.10).

5) Exemplo por sua vida – uma das coisas mais importantes na vida de Timóteo era o seu exemplo. Para ser padrão exige-se um exemplo bastante elevado. Se Timóteo fosse padrão apenas na Palavra e não no procedimento, ele se tornaria imprestável para o ministério. Sem amor, não se pode viver. “Sem fé é impossível agradar a Deus”. Se não for puro, a impureza há de derrubar por completo a vida do líder (v.12).

6) Ministério em público – é dividido por Paulo em três partes: leitura, exortação e ensino (v.13). Leitura da Palavra de Deus ao público, exortação em relação ao texto lido e o ensino, a instrução das verdades da fé cristã.

7) Desenvolver do dom – o líder deve saber qual é o seu dom e desenvolvê-lo (v.7), deve colocar seu dom ou dons em prática, caso não o faça ficará atrofiado e a Igreja de Cristo sai perdendo. O crente tem a responsabilidade de usar e desenvolver o seu dom, nas parábolas das dez minas (Lc 19.11-27) e na dos talentos (Mt 25.14-30) vemos uma ilustração clara dessa verdade.

8) Meditação na Palavra de Deus – quando o bom ministro de Cristo está meditando na Palavra, seu entendimento se abre com o auxílio do Espírito Santo e a todos é manifesto o seu poder na vida (v.15).

9) Diligência no serviço – é dito que o não nos custa nada, damos pouco ou até mesmo nenhum valor (com algumas exceções). O servo de Cristo que não demonstra zelo e diligência no exercício do seu ministério não será de forma alguma bem sucedido em seu proceder (v.15).

10) Cuidado de ti mesmo e da doutrina – ele cuida-se a si próprio (v.16) e também da preservação da pureza da doutrina que aprendera. Um perigo é que muitas vezes o servo de Cristo se ocupa de maneira tão intensa no serviço do Mestre que se esquece, descuida ou negligencia a sua vida espiritual. Por isso, Paulo exorta: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina”.

V. O LÍDER QUE DEUS PROCURA
1. Quanto a Sua Moral:
a) Irrepreensível: o líder deve ser uma pessoa irrepreensível em tudo porque qualquer defeito em sua vida poderá vir a ser reproduzido na vida dos outros membros da Igreja. É ser uma pessoa respeitadora, que não tenha com o que possam acusar, sem manchas (Lc 1.5,6).

b) Esposo de uma Só Mulher: a moral do líder deve ser exemplar. Isso é evidenciado logo por sua total devoção a sua esposa (1Tm 3.2; Tt 1.6).

2. Quanto ao Seu Modo de Viver:
a) Temperante: é ser equilibrado. Ser equilibrado em seus atos. Uma pessoa moderada, para que isso seja possível, deve ser vigilante para que não venha ser levado aos extremos por qualquer paixão (Tt 2.2).

b) Sóbrio: é equilibrado ou moderado em seu modo de pensar. Uma pessoa sensata, ajuizada. Ao tomar decisões usa de sabedoria (1Tm 3.2; 2Tm 4.5; 1Pe 1.13).

c) Modesto: é equilibrado ou moderado em seus próprios desejos. Alguém que é despretensioso, tendo como sua única ambição servir ao Senhor. Simplicidade no modo de se apresentar, de falar de si mesmo (1Tm 3.2).

3. Quanto ao Seu Serviço:
a) Hospitaleiro: para o desempenho do seu serviço, torna-se essencial para o líder esta qualidade. Ele deve demonstrar a sua bondade e dar exemplo para com todos no sentido de ser um bom hospedeiro em sua própria casa (Rm 12.13; Hb 13.2; 1Tm 3.2; Tt 1.8).

b) Apto para Ensinar: o líder precisa ter uma certa aptidão para ensinar. Entre os crentes sempre há a necessidade de ensino e esta oportunidade não deve de forma alguma ser negligenciada pelo líder, ele deve procurar aproveitá-la ao máximo possível. Ele deve ensinar a outros e treinar líderes (1Tm 3.2; Tt 1.9).

4. Quanto às Suas Atitudes:
a) Não Dado ao Vinho: isto demonstra domínio de si mesmo. O líder deve procurar ter domínio próprio e fazer com que não tenha apetites carnais (1Tm 3.3; Tt 1.7).

b) Não Violento: também requer o domínio próprio. É alguém que não é dominado pela ira. Não descarrega seus problemas ou anseios e dificuldades sobre outrem (1Tm 3.3; Tt 1.7).

c) Cordato: justamente o contrário do homem que é violento em modo de agir. É alguém cuja natureza é calma, prudente e bem controlado. Pessoa que tem bom senso. É moderado em sua forma de agir (1Tm 3.3; Tt 3.2).

d) Inimigo de Contendas: o seu modo de vida despreza a competição com uma outra pessoa. Não usa de rivalidades. Não entra em lutas com outra pessoa (1Tm 3.3; 1Co 1.11; 3.3).

e) Não Avarento: não é uma pessoa escrava do desejo de acumular riquezas para si. Não é dominado pela avareza, não tem apego demasiado ou sórdido pelo dinheiro (1Tm 3.3).

f) Governe Bem Sua Própria Casa: não assume o papel de ditador. A sua autoridade deve ser moral e espiritual, usando para isso a autoridade da Palavra de Deus (1Tm 3.4).

g) Criar os Filhos Sob Disciplina: se ele, na qualidade de líder, não sabe governar a sua própria casa e seus próprios filhos, “como cuidará da Igreja de Deus?” (1Tm 3.4).

h) Respeitoso: sabemos que “é necessário” ter essa qualidade. Como se pode respeitar um homem que não tenha convicções, fala sempre de acordo com o pensamento de seus ouvintes? Ele deve ser uma pessoa de “uma só palavra” (1Tm 3.4)

 

Continua ….

Deixe uma resposta