Capa » Estudo Bíblico » Estudos Cristãos: A Esposa que todo Marido Gostaria de Ter

Estudos Cristãos: A Esposa que todo Marido Gostaria de Ter

Estudos Cristãos: A Esposa que todo Marido Gostaria de Ter

Pv 31:30 “Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.”
Pv 31:23 “Seu marido é conhecido nas portas, e assenta-se entre os anciãos da terra.”
Pv 31:2-3 “Como, filho meu ? e como, filho do meu ventre? e como, filho dos meus votos? Não dês às mulheres a tua força, nem os teus caminhos ao que destrói os reis.”

Para me tornar “aquela esposa que todo marido gostaria de ter” não tenho que ser simplesmente uma boa dona de casa mas tenho que ser a rainha do meu lar e aceitar o meu esposo como rei; não tenho que ser simplesmente uma companheira sexual que se submete aos desejos do esposo, mas tenho que ser uma esposa romântica e apaixonada; não tenho que ser simplesmente babá dos meus filhos, mas tenho que ser um exemplo que os influencia a destacar-se e a progredir.
Para me tornar aquela “esposa que todo marido gostaria de ter” tenho que cumprir os 4 As seguintes:

1 – ACEITAR meu marido como ele é.
2 – ADMIRÁ-LO todos os dias.
3 – ADAPTAR-ME a seu modo de vida.
4 – APRECIAR tudo que ele fizer por mim.

1 – “ACEITE-O!”

É intenção da maioria de nós mulheres, quando estamos namorando ou estamos noivas, querermos modificar os nossos futuros maridos (se são descrentes, tornar-se-ão crentes fervorosos; se são beberrões, certamente, tornar-se-ão homens sóbrios e maridos exemplares; se são respondões e desobedientes aos pais, certamente, por amor a nós, tornar-se-ão pessoas mansas, amorosas…) Por que somos tolas? Isto nunca dá certo! A nossa insistência em tentar mudá-lo só o deixa infeliz. O homem precisa ser aceito como é, exatamente como é. Você acha que ele querer ser aceito é errado? E você? E eu? Será que não queremos ser aceitas? Se ao invés de vivermos lutando para modificá-lo, aceitássemos a sua maneira de ser, então ele iria se convencer de que nós, realmente, o amamos.

Vejamos o exemplo de uma mulher que agia com o marido do mesmo modo que agia com as crianças – dando ordens, como se fosse sua mãe:

“Infelizmente, sou insuportável por natureza. Não porque queira – parece que as coisas simplesmente vão acontecendo. Importunar os outros é meu passatempo. Durante o dia inteiro ordeno às crianças:

- Apanhem suas roupas, escovem os dentes, levantem-se da cama!

Quando meu marido chega em casa, naturalmente continuo a comandar.

- Leve o lixo para fora de casa, seja gentil com a mamãe, sorria para os outros, e assim por diante.
Seis anos seguidos importunei meu esposo com os mesmos assuntos, dia após dia. Finalmente, ele não podia mais agüentar. Falou-me com firmeza uma noite:

- Chega de me importunar! Já ouvi, desde a primeira vez. Não sou seu filho, sou seu marido!

Fiquei um pouco chocada a princípio, mas não consegui tirar da mente aquelas palavras. Senti-me impotente. Não concebia que o lixo poderia ser levado para fora de casa se eu não lembrasse Charlie de fazê-lo a cada hora. Afinal, só estava tentando ajudar!
Repassei mentalmente a semana anterior e detive-me em câmera lenta, nas cenas mais marcantes. Notei que as reações de Charlie haviam caído em rotina. Se o importunava sem parar, ele simplesmente ignorava-me; já me havia ouvido da primeira vez. Se não se calava, como sempre costumava fazer, Charlie explodia.

- Você está sempre me mandando levar o lixo para fora de casa, explodiu ele uma noite. – Hoje já me pediu quatro vezes. Você sabe que no fim o lixo sempre é retirado. Mas recuso-me deliberadamente a fazê-lo até que você pare de me importunar! Acossado, lutava pelo direito de ser ele mesmo, contrariando-me para provar que era o líder!

Começava eu a assumir as características de uma segunda mãe, e, segundo os psiquiatras, não havia possibilidade de meu marido sentir-se romântico ao lado de uma segunda mãe.
De uma coisa estava certa. Importuná-lo não dava bom resultado. Decidi, naquela noite, não insistir sobre a estória do lixo. Não diria uma palavra, mesmo que lá ficasse por semanas a fio. Mas para minha surpresa, Charlie levou o lixo para fora naquela mesma noite – sem qualquer colaboração de minha parte! Incrível!” (Ler Pro 31:26)

O marido deve sentir-se livre na intimidade do seu lar, livre para fazer o que quiser, mesmo que isto signifique deixar a pia do banheiro suja de pasta, suas camisas penduradas nas cadeiras, livros e papéis – que para ele são importantes – espalhados pela casa, comer feijão todos os dias. Importuná-lo por causa destas coisas triviais, só vai chateá-lo e fazê-lo sair de casa. Procure olhar o lado positivo de seu marido. Procure ver nele as mesmas características boas que você descobriu quando estavam noivos, e procure não se incomodar mais com seus defeitos, pois só assim você voltará a amá-lo muito mais do que antes. Seu marido é o que é. Aceite-o assim!

Se você perdeu o amor que tinha pelo seu marido, por que não pedir a Deus para recuperá-lo? Se você deseja que seu casamento tenha êxito, deve decidir ACEITÁ-LO. A decisão é sua – você decide se quer ficar toda a sua vida cheia der ressentimento ou ACEITAR seu marido. Amar é ACEITÁ-LO do jeito que ele é. Vejam algumas dicas:

a) Tolerância não é aceitação;
b) Seu marido necessita de sua aceitação;
c) Nunca o compare com outro homem;
d) Ele nunca confiará em você quando sentir que você o critica ou tenta mudá-lo;
e) Aceite sua fraquezas e valores;
f) Seu marido precisa sentir-se importante, amado e ACEITO.

A vida é muito curta para deter-se nas fraquezas dos seres humanos. Concentre-se em seus valores.

2- “ADMIRE-O”

Nossas necessidades são, completamente, diferentes das dos nossos maridos. Enquanto a mulher tem uma necessidade ínfima de ser amada, o homem necessita muito mais ser admirado. Você já parou para pensar no porquê seu marido não se derrete quando você diz o quanto o ama? Mas ao invés, tente dizer que o admira pelo físico, pela sua inteligência, pelo seu amor ao Senhor… e veja, então, o que acontece!

Se seu marido é fechado, não se comunica, comece a derramar admiração naquele cântaro vazio. Tente preenchê-lo para que ele tenha algo para dar. E quando aquele cântaro ultrapassar sua capacidade, adivinhe quem irá lucrar com isto? Exatamente, aquela pessoa que se empenhou em enchê-lo: VOCÊ!
A Bíblia nos manda amar (Tit 2:4) e reverenciar (Efé 5:33) nosso marido. Isto significa admirá-lo que, por sua vez significa respeitá-lo, honrá-lo, estimá-lo, apreciá-lo…
Amar é dar, mesmo que você não receba nada de volta. Calvin Coolidge disse certa vez: “Jamais alguém foi honrado por ter recebido algo. Honra é recompensa para aqueles que deram algo de si.”

Pode o mundo inteiro elogiar meu marido, admirá-lo mas… é de mim que ele precisa para sentir-se especial.

Vejam o que aconteceu com um jovem executivo e sua esposa: “Um jovem executivo encontrava-se faminto de admiração. Sua esposa, no entanto, antes de pensar nele, queria satisfazer-se. Explicou ela:
-Por que devo ceder primeiro? Casamento é um contrato pelo qual as divisões são feitas meio-a-meio. Não cabe a mim dar tudo.
Seu marido lançou-se de corpo e alma às suas atividades profissionais, trabalhando por longas horas após o expediente.Desta forma, esperava preencher suas necessidades internas.
Durante uma aula sobre o curso “A Mulher Total”, esta esposa compreendeu que ela tinha o poder de preenchê-lo com a admiração que ele buscava. Começou a admirá-lo. Seu relacionamento começou a melhorar. Uma noite, ele lhe disse:
-Algo de maravilhoso está acontecendo. Não sei bem o que é, mas é bom demais. Por algum motivo, você parece mais alegre.”

Comece hoje a admirar seu marido, amada irmã, comece a preencher seu cântaro que deve estar tão seco como a terra quando não chove. Admire-o enquanto ele fala. Não continue o que está fazendo mas pare para ouvi-lo. Não dê a ele apenas metade do seu tempo. Coloque sua revista de lado, esqueça a novela, o repórter ou qualquer outra coisa mas ouça o que ele está falando mesmo que não a interesse saber quem ganhou o jogo de futebol. Faça-o sentir que ele é importante para você.
Quanto tempo faz que você não olha com amor para seu marido? Quanto tempo faz que você não olha para o seu corpo? Diga-lhe o que você acha bonito nele: os músculos, os olhos, os braços fortes, o sorriso… Mesmo o homem mais feio tem qualidades que merecem ser elogiadas. Dirija elogios ao homem maravilhoso com quem você se casou e que costumava fazer seu coração bater mais rápido. Admire aquele que você julgava muito acima da multidão de homens comuns.
Por que você não olha para o corpo do seu marido e não faz como aquela esposa que decidiu admirar o esposo dela?

“O seu marido era mais baixo do que ela, mas muito bonito. Em todos estes anos de casada, ela nunca havia expresso sua admiração por ele. Ela sabia que o que ela tinha decidido fazer era muito importante e um grande passo na sua vida. Não sabia como começar. Naquela noite, seu marido lia o jornal. Ela sentou-se ao seu lado e começou a acariciar seu braço. Pouco depois, ela parou e apertou seu braço na parte superior. Inconscientemente, ele retesou seus músculos e ela disse:
-Nunca pensei que você fosse tão musculoso!
Parando de ler o jornal, ele olhou-a e perguntou:
- O que mais?
Ele estava tão faminto de admiração que queria ouvir mais!
No dia seguinte, ela contou o fato a uma amiga que decidiu fazer a mesma experiência. Apesar dos braços finos do marido, ela os elogiou assim mesmo. Duas noites depois, ele sumiu na hora do jantar. Foi descoberto na garagem fazendo exercícios com peso.”

Algumas vezes esta regra pode falhar. Por exemplo:

Certa vez uma esposa solicitou ao marido, jogador de futebol, que lhe desse uma mãozinha – musculosa – para abrir uma lata. Sabe o que ele disse?
-Afinal, o que está havendo? Há cinco meses você vem abrindo estas latas para bebês e, de repente, parece que perdeu as forças!

CUIDADO! Não exagere! Peça a ele para ajudá-la somente nas latas que você, realmente, não conseguir abrir.
Não devemos mentir para satisfazer nossos maridos. Devemos procurar as suas qualidades para elogiá-lo.
Se o relacionamento entre você e seu marido não anda bem e você não vê nada que possa ser admirado, relembre os dias em que você estava convencida de que ele era o único. Naquele tempo o que você amava nele? Procure fazer reviver o ânimo decaído de seu marido ao final de cada dia. Isto não é usar de esperteza ou ardis femininos – é manifestação de amor.

“À sombra de todo grande homem, há uma grande mulher, amando-o, satisfazendo-o.”

3- “ADAPTE-SE A ELE “

“Certa esposa estava cansada da infindável programação dos jogos do marido, dos compromissos e entrevistas. Ela sentia-se só, esquecida e abandonada. Esta noite, ela teria que apanhá-lo no aeroporto e estava a fim de derramar toda a sua raiva em cima dele. Deveria pedir que ele deixasse o futebol? Exigir mais tempo em casa? Ameaçá-lo? Tudo isto ela já havia tentado por uns dois anos.
O que fazer neste caso? Conter seu amor? Fazê-lo implorar sua afeição? Bancar a mártir? Tudo isto ela já havia tentado e o resultado foi… nenhum!
O que fazer? ADAPTAR-SE era o único meio que deveria ser usado para o seu casamento dar certo. E foi isto que ela fez. Mesmo tendo ele, algumas vezes, passado semanas fora de casa, ela procurava tornar o ambiente da casa atraente de modo que ele não sentisse vontade de se afastar dela. Ela procurou não fazê-lo sentir-se culpado mas, ao contrário, tratou-o como um rei e fê-lo sentir prazer de estar ao seu lado.
- O que aconteceu com você, querida? Está diferente!
Sua esposa sabia que nada havia mudado, a não ser a sua decisão em adaptar-se.
Certa noite, seu esposo disse-lhe: “Amo-a tanto neste momento que, se você me pedisse para deixar de jogar futebol, eu o faria.
Ela não fez este pedido, pois havia de coração se adaptado ao modo de vida de seu marido.”

Pode surgir, entre nós mulheres a seguinte pergunta:”Este processo de adaptação não coloca a mulher numa posição de escrava ou capacho?”
Uma mulher que ama o marido e quer ter um casamento feliz não é nem escrava nem capacho. Graciosamente, ela opta por adaptar-se à maneira de seu marido, embora, muitas vezes, não deseje fazê-lo. Ele, em troca, responderá agradecido deixando, muitas vezes, decisões a cargo dela.

Veja o que disse a esposa de um advogado:

“Não fui educada a adaptar-me a homem algum. Sempre aprendi que não devia confiar nos homens. Os homens só pensam em si mesmos, e, se você tem que viver com um para o resto da sua vida, acabe com ele antes que ele acabe com você. Depois de ouvir muitos conselhos e ler a Palavra de Deus, vi que um homem não deseja uma esposa importuna, mas também não quer um capacho. Quer uma mulher com dignidade, opinião e coragem, mas que deixa a decisão final a seu cargo.”

Adaptar-se às suas atividades, seus amigos e sua comida não é sempre fácil, mas é acertado.

Vejamos outros exemplos:

“No dia 15 de janeiro de 1972, Margrethe Alexandrine Thorhildur Ingrid tornou-se Rainha Margrethe II da Dinamarca. Desde a infância fora educada para a tarefa de tornar-se rainha um dia. Recebera a mais refinada educação, treinamento militar, e estava preparada, sob todos os aspectos, para ser rainha.
Seu marido, Príncipe Hendrik, não preenche qualquer função constitucional, a não ser como marido da rainha. Mas não é segredo o fato de que, em casa,quem manda é Hendrik. – Desde pequena, disse Margrethe no dia de seu noivado, – acreditava que, mesmo estando em primeiro lugar oficialmente, poderia colocar-me em segundo lugar no casamento.
Se uma rainha de verdade, que poderia exigir subserviência de seu marido, pensa deste modo, podemos nós, rainhas, fazer por menos?”

1Pedro 3:1 nos diz … “Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios marido; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra.”

“Certa esposa discordou com seu marido a respeito dos planos para o dia de “Thanksgiving”. O esposo queria ficar em casa, fazer algum trabalho em casa, e desfrutar do ambiente da família; ela desejava passar uns dias fora. Discutiram ambas as alternativas, porém, obviamente, juntos só poderíamos fazer uma coisa. Finalmente, concordei que ele deveria divertir-se naquele fim-de-semana, e que participaria, de boa vontade e entusiasticamente, de qualquer programa que ele planejasse. Para minha surpresa, ele anunciou algumas horas mais tarde: “Faça a malas, vamos sair por alguns dias!”

“Júlia, uma mulher muito bonita, casou-se com um homem que adorava acampar. Ela não era do tipo que gostava da vida ao ar livre e, geralmente, ficava em casa quando seu esposo saía em seus passeios pelo mato. Ela mencionou seu problema a uma amiga crente dizendo: “Não suporto estes passeios pela selva, mas irei com ele da próxima vez. Sei o quanto ele adora tudo isto e eu o amo!”
Naquela noite, em vez de ficar bordando, enquanto seu esposo preparava o material do acampamento, ela juntou-se a ele na garagem para fazer-lhe companhia. Enquanto ele trabalhava ao acaso, ela não falou muito, mas ficou perto dele. No dia seguinte, seu esposo chegou em casa cheio de “boas notícias”, como ele chamava. A jovem esposa pensou que ele havia vendido as barracas, mas quando ouviu as notícias, sorriu debilmente e engoliu seu desapontamento. Ele exibia a compra dos melhores colchões de acampamento existentes!
Chegou o verão e arrumaram as malas, partindo, com suas três crianças, para percorrer o país acampando.
Certo dia, sua amiga recebeu um cartão dela que dizia:
“Até agora, a esposa exemplar sobreviveu a mordidas de mosquitos, um pé quebrado, temperatura altíssimas e baixíssimas, e agora a chuva, com um sorriso. Maquilagem no rosto todas as manhãs desde as sete horas (agh!) e babadinhos até em meu pijama de flanela. Estou me transformando naquela esposa que todo homem gostaria de ter. Meu esposo também já se transformou no esposo que toda a mulher gostaria de ter e, agora, nos hospedamos em hotéis encantadores, quentes e secos, com água corrente e, acima de tudo – ELETRICIDADE!”

“Uma esposa, querendo salvar seu casamento planejou um jantar primoroso com vela, música e uma boa refeição. Veja se este exemplo se parece com sua vida:
Primeiramente, ela passou a ferro seu “lindo” vestido vermelho e com rolos no cabelo, mergulhou em um banho de espuma. Dois minutos depois, a porta da frente bateu, e seu marido entrou – às quatro horas da tarde! Ia gritar: “Por que veio tão cedo para casa?” mas não deixou esta frase escapar. Estava decidida a adaptar-se a seus planos. Quando ela o beijou com calor, ele disse: “Que há para o jantar? Estou morrendo de fome. Vamos comer logo.” Foi-se o jantar das sete à luz de candelabros, mas ela vestiu-se e correu para a cozinha.
O sol ainda brilhava quando ela acendeu as velas e serviu o jantar às cinco e vinte. Abruptamente,ás cinco e quarenta e cinco, seu marido saiu de casa para um jogo de cartas com os amigos. “”Estarei em casa por volta de meia-noite”, disse ele. “Não fique acordada esperando.”
Ela porém, em vez de ficar com raiva por seu plano ter ido de água abaixo, murmurou no ouvido do marido “Sentirei sua falta, querido. Estarei esperando quando você voltar.” Por incrível que pareça, ele chegou em casa às oito e tiveram momentos maravilhosos naquela noite.”

4- “APRECIE SEU ESPOSO”

Geralmente, o marido se sente magoado quando sua esposa não reconhece o que ele faz por ela. Se ela vive batalhando por seus direitos (50% X 50%), nunca poderá ser a esposa que ele desejaria que ela fosse: RECONHECIDA.
Se ela acha que convidá-la uma vez por semana para jantar fora em um restaurante não é nada mais, nada menos do que a obrigação do marido, então não poderá expressar gratidão sinceramente. (Ler Pro 17:1)
Quando cedemos nossos direitos ao Senhor, começamos então a amar nosso marido da maneira que ele gosta de ser amado. Agradeça-lhe por todas aquelas pequeninas coisas da vida!

Veja a seguinte situação e repare como você reagiria:
“Seu marido chega em casa trazendo para você um lindo arranjo de rosas. O que você diria?

“Onde você esteve? (Andou fazendo alguma coisa errada e me trouxe este presente?) ou

“Bem, já não era tempo!” (Mereço este presente há meses…!) ou

“Você embrulhou estas flores novamente, ou a casa funerária fechou cedo hoje?” ou

“Bombons? Que gentileza! ( com ar de deboche, pois, afinal de contas, você está de regime)

Nunca diga a seu esposo frases deste tipo! Cuidado com as palavras que usa! Uma esposa não pode ser grata se estiver batalhando pelos seus direitos. Estes direitos devemos ceder ao Senhor.”

Conta-se que num jogo de futebol uma esposa disse para a outra: – “Sei que seu marido é doido por futebol. Você é maníaca por futebol também?” Ao que a outra respondeu, sorrindo: “Amo meu marido!”

A esposa de Albert Einstein foi entrevistada … “Você entende a teoria da relatividade?” Ela sorriu: “Oh! não, eu só sei como ele aprecia o seu chá.” Isto é amor em poucas palavras.

Procuremos ser aquela esposa que nosso marido gostaria de sempre ter ao seu lado! Procuremos aceitá-lo, admirá-lo, adaptarmo-nos a ele, apreciá-lo e amá-lo do fundo do nosso coração, para fazê-lo feliz e sermos felizes.

SOMENTE QUANDO UMA MULHER ENTREGA SUA VIDA AO SENHOR, CEDE-A A SEU MARIDO, O AMA E DESEJA FAZÊ-LO FELIZ É QUE ELA, REALMENTE, SE TORNA LINDA PARA ELE. TORNA-SE UMA JÓIA SEM PREÇO, A GLÓRIA DA FEMINILIDADE, SUA RAINHA.

(Estudo parcialmente baseado no livro de Marabel Morgan “A Mulher Total”)

Por: Valdenira Nunes de Menezes Silva

Sobre Pastora Regiane

Esposa, mãe, escritora, tradutora e intérprete. Pastora de Jovens atualmente no Brasil. Junto com seu marido trabalhan no ministério de jovens e o ensino da palavra de Deus.

4 comentários

  1. Obrigada pela publicação desse estudo.Pedí para que meu esposo saisse de casa hoje,mas lendo pude refletir nas minhas atitudes como esposa e mulher de Deus.Aprendí que preciso aceita-lo da maneira que ele é assim terei um casamento feliz conforme Deus planejou.

  2. Não concordo com a Roseane. A esposa é a administradora do lar e o esposo trás o sustento para casa. Por isso temos tantas crianças e jovens criados pela TV e Internet, pois a mãe fica o dia inteiro fora, depois não tem tempo de conhecer e se fazer conhecida pelos próprios filhos.

    O propósito de Deus para o casamento é o mesmo hoje, ontem e para as gerações futuras. E o papel de cada um, esposo e esposa também não se modifica.

    A esposa pode sim, ser empreendedora, tabalhar, desde que isto não influencie no seu papel dentro da família.

  3. Apesar de eu ter gostago da idéia geral, acredito que esse texto foi escrito à mulheres de pelo menos 2 décadas, pois faltou uma questão a ser abordada: a esposa que todo homem gostaria de ter, precisa ser uma “mulher de negócios” (E isso, por mais incrível que pareça, está em provérbios 31), ela precisa colaborar com o sustento da casa. Para a tristeza de alguns homens, hoje manter um lar só com os rendimentos do marido é impossível, senão um sonho. Talvez essa condição crie outras condições. A mulher atual também precisa de aceitação, admiração, adaptação e apreciação… Pois às 4h da tarde ela não está em casa se embelezando para o seu marido enquanto prepara um jantar, ela está no trabalho apenas começando o seu segundo tempo.

    Tempos modernos, precisamos conhecê-los!!!!

    • É tempos modernos quando nosso filhos, não querem nem saber de mais de Jesus, tempos modernos quando 15% das mulheres na igrejas são separadas ou estão no segundo casamento, viver um periodo da vida com restrições finaceira vale apena, o q não vale é ser moldada pelo ter, pelo querer, e no fim saber que perdeu o mais importante a sua própria família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>