Crises ….

0
540

“Por isso não desfalecemos; mas ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória”. (II Co 4:16, 17)

Essa é uma das passagens bíblicas que mais amo.

A Bíblia não é uma propaganda enganosa de uma vida perfeita e sem problemas para os que decidem seguir o evangelho, mas, por outro lado, não nos desampara em momentos difíceis, ela nos mostra que podemos enfrentar os problemas e nos tornarmos pessoas melhores através deles. Uma coisa é certa, não importa quem seja você, seu nível cultural, sua classe social, a cor da sua pele, etc., as crises virão, e isso não é nenhum sinal de fraqueza, mas, a maneira como você reage a elas, fará toda a diferença.

Gostaria de deixar o texto abaixo pra vocês refletirem, ele fala das duas maneiras que podemos reagir em uma crise.

“Na crise, ou eu cresço ou eu apodreço – não há meio termo. Eu posso utilizar minhas crises como grandes alavancas para o meu crescimento pessoal ou como justificativa e reforço para a minha mesmice, estagnação e resistência à mudança (que são sempre, em última análise, as verdadeiras causadoras de todas as minhas crises…).

Eu cresço com a crise quando digo adeus às estradas repletas de pegadas de pessoas, indo de lá para cá, sem chegar a lugar nenhum e resolvo trilhar o meu próprio caminho (mesmo que, também ele, não me leve a lugar nenhum…).

Eu apodreço com a crise quando me acomodo a ela, encontrando um jeito de ir sobrevivendo com ela sem ter que fazer nada, sem tomar providência nenhuma, mantendo tudo do jeito que está, usando e abusando de justificativas do tipo é a vontade de Deus…, a gente tem que aceitar…, eu já passei da idade…, etc, etc. Essa, na verdade, é apenas uma maneira de adiar a crise, tornando-a, com o tempo, ainda mais insuportável.

Crise só caba pra valer quando eu rompo em definitivo com os padrões de comportamento que estão envenenando o meu dia-a-dia, que estão transformando a minha existência num inferno, por mais céu que minha vida pareça aos olhos dos outros”.

(Geraldo Eustáquio de Souza – Administrando minhas próprias crises)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here